Dr. Bernardo Guimaraes explica como probióticos auxiliam no tratamento da síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável é uma doença devido à disfunção do trato gastrointestinal, que costuma ter prevalência de ocorrência em jovens entre 20 e 39 anos de idade, afetando entre 10 e 20% da população adulta brasileira, sendo predominantemente em mulheres.

O Dr. Bernardo Guimarães, especialista em nutrologia e vida saudável, revela que, apesar de ser uma doença crônica, a inclusão de probióticos na dieta pode ajudar a combater os principais sintomas e trazer mais qualidade de vida. “O uso de probióticos, que são micro-organismos vivos, podem influenciar nos sintomas da síndrome, melhorando a dor abdominal, distensão abdominal, flatulência, de movimentos intestinais alterados e da microbiota intestinal, pois os probióticos podem proteger contra bactérias patogênicas por meio das suas propriedades antimicrobianas.”

Segundo o especialista, a inclusão de probióticos na dieta pode trazer ainda mais benefícios. “Deste modo, além de amplificar as junções estreitas do intestino, estabilizar a permeabilidade, estimular as células caliciformes a produzir muco para melhorar a função de barreira intestinal, normalizar os movimentos intestinais e reduzir hipersensibilidade do sistema visceral “.

Sintomas

O Dr. Bernardo Guimarães ressalta os sintomas mais comuns da síndrome do intestino irritável. “Dor abdominal, alteração do padrão de fezes, distensão abdominal, inchaço, esforço, desconforto abdominal e urgência.”

O médico também revela outros fatores que influenciam no desenvolvimento da doença. “Os fatores genéticos, os fatores ambientais, a história de doença inflamatória intestinal em um membro da família, e os fatores psicológicos também estão envolvidos na gênese da síndrome do intestino irritável.”

Onde encontrar probióticos

Alguns exemplos de alimentos ricos em probióticos são o kombuchá, iogurte, kefir, picles, miso, vinagre de maçã, molho shoyu e coalhada.