Roberto Birindelli, responsável pelo sucesso do personagem “ Pepe” em “Um Contra Todos” e em diversas outras produções

Por: Duda Miguez

O ator Roberto Birindelli está  atualmente no elenco de “ Dom “, série nacional da Amazon Prime  e no longa nacional, “Loop”, de Bruno Bini, que estreou dia 10 no streaming. Além de estar de volta na reprise da novela das nove da Globo em  “ Império” e na primeira fase da “ A Vida da Gente” em reprise no horário das 18 horas, na TV Globo.

Em breve Birindelli volta a gravar a nova novela  “Nos Tempos do Imperador”, da TV Globo, em que viverá o General Solano López. O ator está na quarta temporada da série da produtora Conspiração, “Um Contra Todos”, onde vive mais uma vez o traficante Pepe, em cartaz na Globoplay e no Star Channel. Roberto foi indicado como melhor ator coadjuvante, por seu personagem Pepe de “Um Contra Todos” (4T), pelo prêmio da indústria audiovisual latina PRODU 2020 e também está na série “ Proibido Para Maiores” no Amazon Prime.

Fora das telinhas, Roberto faz uma live sobre o tema #tododiaumpoucomenosmachista  toda semana no instagram.


Confira a seguir a entrevista com o ator Roberto Birindelli:

1 Qual foi a produção que você que te marcou mais?

Um Contra Todos é sem dúvida o trabalho que mais satisfação me deu. Pepe é um presente para um ator. Pensa na alegria de fazer parte disso. O trabalho evoluiu a cada temporada. No projeto original, Pepe era o antagonista que morreria no final da primeira temporada, mas foi ganhando espaço, a relação com Cadu foi ganhando camadas e significados que dava para desenvolver mais e aproveitar, e chegamos na quarta com muita coisa ainda para acontecer entre eles. Tanto que a última cena antes do final é a decisão final de Cadu, e envolve Pepe. Estes cinco anos de convivência foram incríveis, acho que foi um projeto pra lá de especial para cada um dos envolvidos. Texto maravilhoso, e a gente acrescentava, sugeria desdobramentos e matizes, os autores estavam sempre por perto pra incorporar no texto, repensar. A direção detalhista, cuidada e parceira do Breno foi memorável. A caracterização e figurinos do Pepe… vou lembrar sempre!

2. Como foi participar da produção “ Dom”?

Na série Dom,  meu personagem chama-se Paulo, que é o pai do Victor Dantas (personagem de Flávio Tolezani).O ambiente de trabalho com o diretor Breno Silveira é sempre uma delícia. Breno faz questão de acompanhar tanto a preparação quanto todas as etapas de caracterização, figurino, etc. E ele super escuta sugestões. Olhando depois o trabalho pronto a gente nota a diferença.


3. Você atuou ao lado do Alexandre Nero na novela “Império”, como foi a experiência?

Uma novela normalmente se centra em 5 ou 6 núcleos por onde passeia a narrativa. No caso de IMPÉRIO, havia 2 núcleos centrais: O Comendador (Nero) e Maria Marta (Lilía), que concentram a grande maioria das cenas. Então a gente gravava muito! Foi um baita aprendizado, da dinâmica de gravação, da generosidade da equipe toda. Da compreensão e como nós ajudávamos uns aos outros. Pensa que a gente convivia diariamente durante horas, passando pelo cansaço, risos, frustrações, dificuldades e de vez em quando alguma cervejinha também.

4. O que significa fazer lives no instagram com o tema do machismo? Qual impacto você acredita que tenha?

A estratégia é chamar as pessoas – se possível, homens – para trilhar um caminho de compreensão. A hashtag #tododiaumpoucomenosmachista diz respeito a que não nascemos desconstruídos. Fomos criados num meio machista, portanto, nosso default, nosso automático é machista. Em vez de tentarmos negar, coisa que homens fazemos direto, e bolar mil teorias e justificativas mirabolantes, proponho caminhos de entendimento e colaboração nessa mudança, sem inculpação. Tipo: sim, hoje fiz quatro bobagens machistas, amanhã só 3, depois uma… É um trabalho de percepção, entendimento e compromisso.

5. Quais são os planos futuros para sua carreira?

Estão previstos os lançamentos de vários longas que fiz este ano. Tem Águas Selvagens, de Roly Santos, uma coprodução Brasil/Argentina, onde faço o protagonista; além dos longas Human Persons, de Frank Spano, uma coprodução EUA, Colômbia, Brasil; a produção uruguaia La Teoria de los Vidrios Rotos, de Diego Fernández. Também tem os longas nacionais A Garota da Moto, de Luis Pinheiro. Tenho convites para filmar no exterior assim que a novela acabar e em janeiro começa a obra do centro cultural na Gávea, e estou desenvolvendo roteiro de uma série.